Harlem – Wikipédia, a enciclopédia livre

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Harlem (desambiguação).
Estados Unidos Harlem 
  Bairro de Manhattan, Nova Iorque  
Prédios de apartamentos próximos ao Morningside Park
Prédios de apartamentos próximos ao Morningside Park
Localização
Coordenadas 40° 48' 32" N 73° 56' 54" O
País  Estados Unidos
Estado  Nova Iorque
Cidade Flag of New York City.svg Nova Iorque
Distrito Manhattan
Distrito comunitário Manhattan 10
Região Upper Manhattan
Contém Astor Row, Striver's Row
Fronteiras Washington Heights, Sugar Hill, Hamilton Heights, Manhattanville, Morningside Heights e Manhattan Valley
Limites Delimitado aproximadamente pelo rio Hudson a oeste, o rio Harlem e a 155th Street ao norte, Quinta Avenida a leste, e a 110th Street (Central Park North) ao sul.
História
Fundação 1660 (362 anos)
Fundador Peter Stuyvesant
Nomeado por Haarlem, Países Baixos
Características geográficas
Área total 3,63 km²
População total (2020) [1] 130 440 hab.
Densidade 35 933,9 hab./km²
Fuso horário UTC−5
Horário de verão UTC−4
ZIP Codes 10026, 10027, 10030, 10037, 10039
Códigos da área 212, 332, 646 e 917

Harlem é um bairro de Manhattan, na cidade de Nova Iorque, conhecido por ser um grande centro cultural e comercial dos afro-americanos. Apesar de o nome ser geralmente atribuído a toda a região alta de Manhattan, o Harlem é tradicionalmente limitado pela Rua 155 (155th Street) a norte e o Rio Harlem a leste. O limite ocidental de Harlem é o Rio Hudson, que serve adicionalmente como limite da cidade, do condado (county) e do estado de Nova Iorque.

História[editar | editar código-fonte]

Era colonial[editar | editar código-fonte]

O nome Harlem vem de "Nieuw Haarlem" (Nova Haarlem), o assentamento holandês que fazia referência à cidade de Haarlem, capital da província da Holanda do Norte nos Países Baixos, dos primeiros imigrantes da região que chegaram com a Companhia das Índias Ocidentais. A area foi casa dos povos indigenas como as Lenapes antes colonização por os Holandês. A ilha da Manhattan foi comprada, da perspectiva dos Holandeses em 1626 e uma vila formada, separado do maior Nova Amsterdã logo após. Uma coleção de fazendas até o século XVII, a área foi totalmente queimado pelas forças britânicas durante a Revolução Americana.

Século XIX[editar | editar código-fonte]

Décadas depois, quando a grade de ruas atual foi construída em toda a ilha, o bairro veria crescimento populacional novamente. Na década de 1830, a Ferrovia Nova Iorque e Harlem conectaria o bairro ao resto de Manhattan[2]. Em meados do século, seria um lar para imigrantes alemães que fugiam das condições de superlotação no extremo sul da ilha. Outros grupos étnicos seguiriam, incluindo italianos e judeus. Mais crescimento populacional viria com a construção de trens elevados de Ferrovia Manhattan acima da Avenida 8a (agora Frederick Douglass Boulevard)[3].

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
2010115 723
2020130 44012,7%
Censo NYC[1]

Segundo o censo nacional de 2020,[1] a sua população é de 130 440 habitantes e seu crescimento populacional na última década foi de 12,7%.

Residentes abaixo de 18 anos de idade representam 19,0%. Foi apurado que 23,7% são hispânicos ou latinos (de qualquer raça), 15,2% são brancos não hispânicos, 51,8% são negros/afro-americanos não hispânicos, 3,9% são asiáticos não hispânicos, 1,1% são de alguma outra raça não hispânica e 4,3% são não hispânicos de duas ou mais raças.

Possui 61 629 residências, um aumento de 11,0% em relação ao censo anterior, onde deste total, 6,3% das unidades habitacionais estão desocupadas. A média de ocupação é de 2,3 pessoas por residência.

Cultura[editar | editar código-fonte]

O bairro também é notoriamente conhecido por cultura afro-americano. A area passou a ser o centro do vida negra com o começo de Grande Migração depois da Primeira Guerra Mundial. Milhares de pessoas fugindo opressão racial, violência da turba e falta de oportunidades econômicas chegou e formado organizações sociais e políticas para melhorar a situação dos negros. UNIA, um grupo pan-africano criada por Marcus Garvey, foi fundado no bairro.

Referências

  1. a b c «NYC Population FactFinder (Census)» (em inglês). Departamento de Planejamento Urbano de Nova Iorque. Consultado em 12 de março de 2022 
  2. Nevius, James (27 de junho de 2018). «The elevated era». Curbed NY (em inglês). Consultado em 24 de julho de 2021 
  3. «History of Harlem». Harlem Heritage Tours & Cultural Center (em inglês). Consultado em 24 de julho de 2021 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Harlem


Ícone de esboço Este artigo sobre geografia dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.